financas‎ > ‎

Não vale a pena propor informalidade aos empregados

postado em 26 de abr de 2013 04:28 por Marco Aurelio Zoqui   [ 26 de abr de 2013 04:28 atualizado‎(s)‎ ]

02/04/13 - Risco de demandas trabalhistas caras aumentou muito.

Eu continuo nosso tema de ontem sobre a grande mudança no orçamento doméstico no provocado pelas novas regras do trabalho doméstico. Nesta radical mudança, não adianta tapar o sol com a peneira. Não vale a pena propor informalidades aos empregos. O risco de demandas trabalhistas caras aumentou muito. Horas extras custam bastante e precisam ser bem controladas. Os patrões não podem se iludir achando que seus empregado doméstico é ingênuo, e que vai aceitar informalidades pra sempre. Quem quiser bancar o esperto, vai assumir um risco muito grande. Hoje o Brasil tem milhares de bons advogados, que estão aptos a fazer os direitos dos empregados domésticos serem rigorosamente cumpridos. Os ouvintes mais antigos, devem se lembrar de episódios em que proprietários rurais tiveram que pagar vultosas indenizações a seus empregados, naquele tempo em que houve uma mudança nas regras na legislação do trabalhador Rural. Diante disso tudo não há mais espaço pra amadorismos. Quem insistir com informalidades, está colocando em riscos seu patrimônio numa futura demanda trabalhista. Minha sugestão prática: procure o quanto antes, escritórios de contabilidade, que sejam experientes em fazer folha de pagamentos de empresas. Muitos desses escritórios de contabilidade, vão aceitar controlar a burocracia que a nova relação de trabalho doméstico vai exigir. Esses escritórios contábeis, costumam ser rápidos e organizados, e se responsabilizam legalmente por eventuais erros cometidos. Acompanhe atentamente as reportagens sobre o tema nos jornais nos próximos dias. Consulte um advogado trabalhista, se você tem na sua casa uma situação especial. Peça ao advogado redigir um contrato de trabalho, combinando detalhes, sobre essa nova relação de trabalho com o seu empregado doméstico. Procure esclarecer todas as dúvidas, com estes profissionais nos próximos dias e seja muito transparente e honesto com o seu empregado doméstico. Se você chegar a conclusão de que a sua família não tem como encarar este custo adicional, renuncie a este privilégio. Invista em equipamentos domésticos mais eficientes. Simplifique as suas rotinas. Divida as tarefas com seus familiares. É melhor não ter um empregado doméstico em casa à correr o risco de se endividar ou de enfrentar uma desgastante e cara demanda judicial lá no futuro.


Mauro Halfeld pra CBN


Todos os comentários de Mauro Halfeld estão arquivados no site www.cbn.com.br
Transcrição autorizada do podcast de Mauro Halfeld para CBN