financas‎ > ‎

Sem capital grande, evite aplicar diretamente em ações

postado em 23 de abr de 2013 13:29 por Marco Aurelio Zoqui   [ 24 de abr de 2013 07:01 atualizado‎(s)‎ ]

27/03/13 - Com ETFs, investidor pode aplicar em mais papeis sem se preocupar em rebalancear a carteira.

Olá, respondo a e-mail recebido em cbndinheiro@cbn.com.br.
Tenho 24 anos, solteiro, comecei a trabalha à um ano. Tenho um salário médio de R$8.000,00 e consigo juntar cerca de R$5.000,00 por mês. Em um ano juntei R$60.000,00 e pretendo investir R$50.000,00, deixando os restantes R$10.000,00 pra emergências. Acredito que tenho um perfil moderado como investidor e pretendo distribuir o dinheiro da seguinte maneira: 30% em títulos públicos do tesouro direto. 30% em ações, 20% em fundos imobiliários, 10% em fundo de ações e 10% em fundos multimercados. O que você pensa disso?

Meu comentário:

Parabéns pela dedicação aos estudos e ao trabalho. Você já está colhendo os primeiros frutos. Tenho poucos retoques a fazer nesta distribuição que você está propondo. Primeira: com capital não muito grande, melhor do que aplicar em ações diretamente seria comprar três ETFs, que são fundo de ações que são negociados diariamente como se fossem uma única ação lá na BOVESPA. Com esses ETFs (Exchange-Traded Fund), você pode aplicar em 50 ou mais ações sem ficar preocupado em reaplicar dividendos, nem rebalancear sua carteira. Você vai evitar se distrair com especulações de curto prazo, que normalmente acontecem com aqueles que estão começando a investir em ações individualmente. Exemplos de ETFs: PIBB11, BOVA11, DIVO11, XBOV11. Todos eles você pode comprar através de um Home Broker, ou através de uma corretora de ações. Faça estes investimentos de uma maneira lenta e gradual, e não fique esperando bons resultados no curto prazo. Segunda: eu concordo com os 20% em diferentes e conservadores fundos imobiliários. Eu acho que vale a pena até aumentar um pouco este percentual, e reduzir a parte destinada às ações. Isso porque a gente tá numa temporada pouco otimista no mercado brasileiro de ações. Quanto aos 10% dos fundos multimercados, é bom você saber que essa é uma categoria bastante heterogenia. Você deve avaliar muito bem os gestores e verificar se eles estão realmente adicionando valor para o cliente. Evite assumir riscos exagerados, nos fundos multimercados, e também fuja de taxas muito altas.

Mauro Halfeld pra CBN



Todos os comentários de Mauro Halfeld estão arquivados no site www.cbn.com.br
Transcrição autorizada do podcast de Mauro Halfeld para CBN